11:25

Coraçao apertado

Postado por Mundo da Duda



... Fez uma semana que estou trabalhando e eu aguentei...


Pensei que tiraria de letra e que não sofreria tanto em ficar tantas horas longe da Duda e o pior isso seria a nossa relidade de hoje em diante.


Mas ontem ao entrar no trem vi uma mãe com uma bebezinha que lembrou a Duda e eu fiquei ali olhando em pé aquela mãe e sua bebê.

Fazia tanto calor que a bebezinha estava reclamando e toda suadinha e a mãe, com todo o cuidado do mundo, cuidando dela.

Me veio a mente, na hora, se a minha Duda não estaria também sentindo calor e choramingando, de sede e eu não estava com ela para saciar a sua sede e amenizar seu calor.


Tentente segurar a lágrima, mas não deu e senti aquela gotinha rolar o meu rosto, respirei fundo e fechei os olhos, queria que o teto do trêm abrisse e eu criasse asas para voar até minha filha.

Então abri os olhos e ainda estava ali no trêm e senti uma dor tão forte no meu peito que chegou a me faltar o ar...

...e me dei conta de que essa seria apenas a primeira semana de muitas outras que vou passar sem quase ver minha filha...

Sai cedo e ela está dormindo, quando volto ela só passa umas poucas horas comigo até dormir.


Duda está meio resfriadinha e com uma tosse tão forte e quando tosse parece que está cheio de secreção pois um barulhão...
Tem mais dentinho saindo e uma corisa transparente.


E com certeza nao serei eu que irei leva-la a pediatra, não serei eu que vou dar os remedios na hora certa, não serei eu que vou faze-la dormir quando ela ficar enjoadinha durante o dia... e muitas outras coisas mais, nao serei eu...

Te amo tanto Duda e ficar longe de você doi muito!

9 Pode deixar seu comentário aqui :):

Rebeca disse...

Eu fico tentando imaginar essa dor. Deixar seu bebê com outras pessoas (mesmo que seja a vovó, tia ou algum parente: mãe é mãe né?). Passar pouco tempo com a Duda. Sem contar o cansaço depois de um dia inteiro de trabalho, que também priva um pouco. Mas não desanime linda! Você vai conseguir passar por isso!

Beijocas

viajenaleitura disse...

Olá amiga,imagino como deve ser difícil,uma dor muito forte,ser mãe é padecer muito,mas tenho certeza que encontrara um caminho!vc já esta participando dos sorteios em meu blog?
Se ainda não está não perca tempo,um deles encerra amanhã!

Beijos!

Fabi da Juju disse...

Puxa amiga...

Que triste!!! Realmente é bem dificil ficar longe né??? Eu joguei tudo para o alto e estou com a Julia em tempo integral...Amiga, pense no que te fará feliz!!!

Beijos,

Fabi da Juju

jordana.deoliveira disse...

Ah querida, queria poder te confortar, muitas vezes já estive triste e me trouxeste palavras encorajadoras e cheias de carinho...
Mas não tem o que amenise esse sentimento ruim neh, as crianças tem necessidade de socializar e conviver com outras crianças, mas tão pequeninos e dependentes é de apretar o caração né amiga...
Tenho conversado muito sobre isso com o meu marido, porque queremos muito engravidar, então combinamos que não trabalharei 1 ano e meio, na minha opinião criança tem de ir pra escolinha andando e falando pelo menos o mínimo, pra poder comunicar o que precisa...
Sei que algumas mãezinhas não tem opção e precisam trabalhar, no nosso caso meu salário serve mais para as minhas necessidades do que para o sustento, mesmo assim prefiro abrir mão de pequenos prazeres pra me dedicar ao pequeno que se Deus quiser vai chegar!
Não sei qual o teu caso amiga, mas vou rezar por ti, pra que tudo dê certo, pra que Jesus conforte o teu coração, e ilumine os teus caminhos!
Um beijo no teu coração!

Livia e mamae.. disse...

ah amiga e bem dificil neh...
ainda mas com a Dudinha tao linda igual eh...
agente se apega mto e fica dificil ne...
pense que vc esta fazendo isso por ela..um dia ela vai se orgulha de vc...
eu escolhi nao trabalha,mas ja começei ir atras de outro..
pois quero dar boas coias p Livia...
um bjo gde em vcs...
e fica com Deusss

Mamãe Nathi disse...

Ô mamãe, fica assim não!
Te entendo!
Tb me senti assim no início, mas perdi forças a Deus e continuei...
Não fique assim angustiada, não vai fazer bem pra você e nem pra Dudinha!!!

Força!!!

Beijosss***

Alessandra disse...

Nossa, eu até chorei lendo sua postagem, pq sei exatamente o que vc está passando. Quando o Pietro completou 4 meses eu voltei a trabalhar e tive que deixá-lo na escolinha, com pessoas que ele nunca tinha visto na vida e ainda por cima, tive que conviver com tudo o que a convivência com outras crianças traz: Gripe, resfriado, conjutivite e etc.
Eu sei que é ruim, mas tb é necessário, espero que um dia eles possam entender isso.
Bjs e força

Valquíria disse...

Que coicidência fiz um post sobre a licença maternidade ontem que não consegui vencer até hoje!Vamos chorar uma no ombro da outra amiga?Tb to na mesma que vc!beijos
Val e Gui

Sasá disse...

Amiga eu te entendo, sei o quanto isso dói,mas não se sinta culpada, vc já passou tantos meses se dedicando integralmente a Duda. Olha que eu comecei a trabalhar no mês passado, quando Davi tinha apenas 2 meses de vida. Me doeu muitoooo,me senti culpada por ter-lo deixado no berçário,mas ao ver a sua adaptação, ao ver que ele estava sendo bem tratado, resolvi relaxar. Segunda feira vai vir uma babá e o meu consolo é que eu estou trabalhano para ele, meu filho. Pra dar o melhor sempre pra ele. Eu já recebi meu din din e comprei roupinhas, brinquedinhos pro meu filhote e me senti tão feliz. Não que seja o mais importante,mas se não estivesse trablhando talvez nao pudesse dar isso, então procuro aproveitar ao máximo o tempo livre com o Davi. Quando chego a noie fico com ele das 18h até as 22h só brincando, amamentando...enfim acho que o mais importante é a qualidade do tempo que vc passa com a sua filha. Beijos no coração e força sempre!

Meus posts!!!

Amor da minha vida!

A felicidade exige valentia...


"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."
(Fernando Pessoa)



Esses eu recomendo!